Aprenda a citar corretamente o nome do autor em sua monografia, em apenas dois passos

Oi, tudo bem? Você sabia que inverter o sobrenome de um autor, para fazer citação, nem sempre é tão simples como se pode parecer? Existem uns sobrenomes conhecidos como compostos e há umas regrinhas básicas pra invertê-los, repara só:

1) Nome com menção de grau de parentesco deve sempre vir precedido do último sobrenome. Prestenção nuns exemplos:

Ex.: Ana Maria Silva Melo Filha >> MELO FILHA, Ana Maria Silva
Alaor Santana Cruz Júnior >> CRUZ JÚNIOR, Alaor Santana
Jair Sá Sobrinho >> SÁ SOBRINHO, Jair de

2) Nome de família e nome espanhol, tipo:

Ex.: Gabriel García Marquez >> GARCÍA MARQUEZ, Gabriel
Amanda Espírito Santo >> ESPÍRITO SANTO, Amanda

Mas aí você pode perguntar: e como eu vou saber o que é composto e o que não é? Vou te dar uma dica: pesquisa a referência que você tem em mãos em algum catálogo de biblioteca ou base de dados. Pra facilitar, vou te passar estes dois links pra pesquisar quando tiver dúvida: BN Brasil e Library of Congress.

Esses exemplos valem pra quem está referenciando pela ABNT, blza?

Se mesmo assim você não sabe como inverter o sobrenome, grita aqui nos comentários que eu te ajudo. 😉


Duas dicas para citar uma fonte sem autoria

OiÊ! Tranquilidade? Você tem um emaranhado de fontes pra citar em seu trabalho e algumas delas não tem autoria? Então este post vai te servir.

Pra citar qualquer fonte de informação, com ou sem autoria, a principal dica é: se ligue no primeiro elemento da referência dessa fonte. Se você formatar a referência fora do padrão, correrá também o risco de citá-la fora do padrão.

Logo, se o sistema de citação que você está utilizando é o numérico não precisará se preocupar com a citação. Mas se o sistema de citação é o autor-data, se ligue nestas dicas pra não cometer equívocos ao citar fontes sem autoria:

1) Mencione a primeira palavra do título da fonte em CAIXA ALTA, seguida de reticências.
Ex.: (ATENTADO…, 2001)

2) Se a primeira palavra do título for um artigo (definido ou indefinido) ou um monossílabo também ponha a segunda palavra em CAIXA ALTA, seguida de reticências.
Ex.: (NOS ARREDORES…, 1988)

Fácil, né?! Não vai errar! 🙂


Conheça os sistemas de citação que você pode usar em sua monografia

Oi! Você já ouviu falar em sistema de chamada para citação? Pois é, criatura, tem de tudo nas normas, mas esse sistema não é nenhum bicho. Ele mostra como a citação deve ser indicada no texto da sua monografia, correlacionando-a com a referência, e você deve escolher um e usá-lo em todo o texto.

Os tipos mencionados na 10520 {ABNT} são o autor-data e o numérico. Nas áreas da saúde é muito comum usar o sistema numérico, já o autor-data é mais utilizado nas demais áreas. Deixa eu te explicar como usar cada um..

SISTEMA NUMÉRICO – À primeira vista é o sistema mais fácil, pois não é necessário mencionar a autoria da fonte no corpo do texto. Você precisa numerar as citações em ordem crescente (consecutivamente) e listar as referências no final do trabalho ou do capítulo. A numeração pode vir entre parêntesis ou sobrescrita, no final do parágrafo ou frase.
Ex.: Pesquisadores de Harvard definiram bem-estar como … (13).
Dicas plus >> (a) Se precisar citar mais de uma fonte no mesmo parágrafo separe-as por uma vírgula; (b) Use um gerenciador de referências (tipo Mendeley, EndNote etc..) se precisar inserir uma referência nova no meio de outras já citadas, assim você não precisará mudar toda a ordem das citações na munheca. {É chato. ¬¬}

SISTEMA AUTOR-DATA – No corpo do texto você deve citar o responsável pela obra citada, seguido do ano de publicação. E esta menção pode ser feita dentro de parêntesis, em CAIXA ALTA e no final do parágrafo; ou fora de parêntesis incorporado ao texto (o ano deve vir dentro do parêntesis). Neste sistema você precisa saber diferenciar a citação direta da indireta, para saber mais saca este post.
Exs.: (ALMEIDA, 2016) / Segundo Almeida (2016)… / (ALMEIDA, 2016, p. 10) / Segundo Almeida (2016, p. 28).

É por aí. Se tiver dúvidas grita nos comentários. 😉


4 dicas de como usar as aspas em sua monografia

Ooooiii! Se liga nestas 3 dicas sobre o uso das aspas na sua monografia:

1) Você deve saber que há dois tipos de aspas:

2) Use aspas duplas sempre no início e fim de uma citação direta

3) Use aspas simples se no meio da citação houver aspas {duplas ou simples}

4) Evite usar aspas para destacar alguma frase ou palavra no meio do seu texto, para não ser confundida com uma citação. Dica: use outro tipo de destaque {negrito ou sublinhado}

Pronto. Segue isso aí e vai na fé! 😉


Aprenda a citar fontes escritas por mais de um autor

authors75pb660Olá! Você está normalizando seu trabalho pelo sistema de citação autor-data? Então este post trará dicas certeiras que vão responder as seguintes questões:

  1. Que dados sobre a fonte devem compor a citação, e em qual ordem?
  2. Quais os sinais de pontuação utilizar?
  3. Como citar no mesmo parágrafo uma fonte de informação, escrita por mais de um autor?
  4. Como citar no mesmo parágrafo duas ou mais fontes de informação, escrita por mais de um autor?

Se você não soube responder alguma dessas perguntas, se liga nas respostas exemplificadas:

Ler mais


Como destacar suas citações conforme a NBR 10520

Ooooiii! Terça-feira passada dei umas dicas pra você padronizar os destaques no corpo do texto do seu trabalho, cê viu? Então.. o post de hoje é um complemento daquele lá, mas só pra quem for normalizar as citações pela NBR 10520:2002 da ABNT.

Numa citação você pode manter um destaque do próprio autor, ou você mesmo pode destacar o que julgar necessário, usando ou o sublinhado ou o negrito ou o itálico (lembre-se: nunca mais de um destaque no mesmo trecho!). O que você não pode esquecer é indicar quem foi que destacou o quê.

giphy.gif

Bom.. para as citações diretas, a 10520 pede o seguinte: se o destaque for do autor (estiver na obra que você pegou a citação), você vai indicar a citação com a expressão: grifo do autor; se o destaque for seu, você indicará com a expressão: grifo nosso. Olha uns exemplos:

Ler mais


Você sabe o que é e como usar o apud?

Olá! Já mostrei aqui no blog a diferença entre citação direta e citação indireta, você viu? Se não, pode conferir aqui. Hoje vou te explicar melhor um dos recursos mais famosos da citação: o apud, e como você deve usá-lo.

Apud é um termo em latim que significa “citado por”. É quando você cita algo que já foi citado por alguém, ou seja, você não acessou o documento original da citação. Entendeu? Também chamam o apud de “citação de citação”. Saca este exemplo: apud

Nesse exemplo, o autor transcreveu a citação do Almeida (2007) que ele leu na publicação do Oliveira (2009). {Daí, ele descreveu que o Almeida foi “citado por” Oliveira.} 😉

O pulo do gato é o seguinte: sempre que você for usar o apud traduza-o em mente por “citado por”. Não vai ter erro! :*

PS: Está gostando dos nossos posts? Tem dúvidas, críticas e sugestões na cabeça? Solta o verbo e abuse dos comentários aqui e na nossa fanpage.

Ah! E se você ainda não se cadastrou na nossa Lista Vip, clique aqui e receba dicas exclusivas além de novidades, em primeira mão.

Até breve!


5 dicas para agilizar a formatação final do seu trabalho

Quem vai normalizar seu trabalho pela ABNT, tenho umas dicas ótimas que farão você saber quantas páginas terá a versão final do seu trabalho, mesmo antes de terminar de escrevê-lo, além de perder menos tempo na formatação final. Quer saber? Se liga aí:

1) Nas configurações do seu editor de texto, comece definindo o formato da página que você imprimirá seu trabalho, ele deverá ser A4 (21 cm X 29,7 cm)configurar papel

Ler mais