Cê viu que tamos no YouTube?! \o/

Oiiii!!! O primeiro semestre do ano passou voando, hein?! Quem aí tb teve essa sensação? Poizé… é uma vida louca corrida que faz a gente pensar assim. =P

Por conta dessa correria, a partir deste mês de julho, os posts aqui no blog ficarão mais escassos… teremos posts quinzenais por um motivo: também estamos no YouTube!!!!!!! E pra que nosso compromisso se mantenha, é melhor fazer esse ajuste. Assim, conseguimos dar conta daqui e do canal no YouTube. 😉

Falando no canal, quem ainda não viu nosso primeiro vídeo aproveita pra conferir agoraaaa… oia <3

Agora se inscreve lá e compartilha com azamizadji que tão precisando dessas dicas maraaa… 😉 {aproveita tb pra sugerir conteúdo!} <3


Saiba qual o erro mais comum ao escrever o título do capítulo de uma monografia

Oier… Tudo bem com você? O post que trago hoje é pra você nunca mais esquecer na vida! Muita, mas muita gente comete esse erro sem perceber, e/ou até por culpa de um comando automático do editor de texto. ¬¬

Sabe aquele ponto, travessão ou parêntesis que você insere logo depois da numeração de capítulo na sua monografia?

sumario com ponto

Ler mais


6 dicas pra seu sumário ficar perfeito

Olá! Você faz parte do time dos que não sabem estruturar um sumário? Então este post é exatamente pra você. Inspirei-me nos padrões ABNT e de diagramação, e serve pra todo mundo {a não ser que sua instituição apresente normas diferentes}.

1) As normas ABNT que você precisará consultar são a NBR 6027 e a NBR 6024 {ambas de 2012}. A 6027 trata a normalização do sumário em si, e a 6024 te ensina como usar as numerações progressivas para os capítulos.

2) Escreva o título SUMÁRIO no centro da página e formate-o no mesmo padrão dos títulos primários. Ou seja: se o título do capítulo 1 você formatou com fonte 14, caixa alta e negrito você vai formatar o título SUMÁRIO do mesmo jeitinho. Sacou?

Ler mais


Normas ABNT para formatação de trabalhos acadêmicos. Por onde começar?

Olá, tudo bem? Pra começar falando em normalização de trabalho acadêmico pela ABNT – se seu trabalho é uma tese, dissertação ou TCC – é importante saber que a norma que te norteará é a NBR 14724: Trabalhos acadêmicos. Estar atento à edição mais atual da norma é fundamental, pois todas elas são revisadas anualmente e, quando necessário, são modificadas invalidando as edições anteriores. Para ter certeza que você está usando a última edição da norma sugiro consultar o catálogo da ABNT, a última edição é a de 2011. {consulta ao catálogo ABNT em 2/6/16}

Algumas NBR de informação e documentação apresentam referências normativas, i. é, a lista de documentos complementares indispensáveis para aplicação da norma. No próprio catálogo da ABNT eles já apresentam um tópico informando, os da NBR 14724:2011 são as seguintes:

normas necessarias aplicacao 14724

Então, só pra esclarecer: pra normalizar seu trabalho pela NBR 14724 você vai precisar consultar todas essas normas ABNT acima listadas {e suas respectivas referências normativas}: NBR 10520: Citação em documentos, NBR 12225: Lombada, NBR 6023: Referências, NBR 6024: Numeração progressiva das seções de um documento escrito, NBR 6027: SumárioNBR 6028: Resumo, NBR 6034: Índice; além do Código de Catalogação Anglo-Americano (AACR), que vai te ajudar a fazer sua ficha catalográfica (elemento obrigatório para o trabalho); e as Normas de Apresentação Tabular do IBGE, que te ajudará a padronizar a apresentação de dados numéricos em tabelas. As normas ABNT e o AACR você pode adquirir no site de cada associação e a norma IBGE está disponível para download no site do instituto.

Sabendo que existe isso aí é bom dar uma olhada pra começar a escrever seu trabalho meio que pré-normalizado, assim você só precisará dar os ajustes finais. Das ABNT’s NBR citadas acima, sugiro começar pela seguinte ordem: 1°) NBR 14724; 2°) NBR 10520 e 3°) NBR 6023. As demais são importantes, mas dá pra você lapidar no final com menos trabalho.

É por aí, caro leitor. Mãos à obra! 🙂

#PartiuNormalizar

cropped-375215_291743497534932_265249295_n-cc3b3pia1.jpg

P.S.: E não esquece que se pintar aquela dúvida, grita por nós! 😉